sábado, 12 de outubro de 2013

Bom Dia / Você sabe qual é a origem do Dia das Crianças?Vejam quais são os objetivos e as origens dessa data tão querida e esperada pelos pequenos.

Você sabe qual é a origem do Dia das Crianças?






O dia das crianças já está aí, quase todos já mudaram as suas fotos de perfil no Facebook e os pais já compraram os presentes de seus filhos. Contudo, você realmente sabe por que comemoramos o Dia das Crianças? Claramente, existem as típicas razões econômicas, porém elas só adquiriram força depois da década de 1960 – sendo que o Dia das Crianças foi originalmente instituído no Brasil em 1924. Mas por que 12 de outubro?
Coincidentemente, 12 de outubro é o dia em que Cristóvão Colombo descobriu as Américas, batizando-as informalmente de "continentes crianças", pois foram descobertas tardiamente. Pensando nisso, o deputado federal Galdino do Valle Filhou criou o Dia das Crianças nesse período em terras tupiniquins. Em outros países, os pequenos comemoram em diferentes datas – na Índia é em novembro, em Portugal é em junho e no Japão é em maio.


O bom ao redor do Dia das Crianças no Brasil começou em 1960, quando a Estrela fez uma promoção em conjunto com a Johnson & Johnson para lançar uma boneca chamada "Bebê Robusto". O sucesso de vendas foi tão grande que no ano seguinte outras empresas se mobilizaram na mesma data com promoções de artigos infantis. E a data que até então passava um tanto despercebido pelas próprias crianças se transformou em um dia muito desejado e esperado.
Mundialmente falando, é mais comum que os países comemorem o Dia das Crianças no dia 20 de novembro – data oficial estipulada pela Organização das Nações Unidas. De acordo com a Declaração dos Direitos das Crianças, todas elas, independente da raça, cor, credo, religião e sexo, têm direito a receber amor, carinho, educação e alimentação. Essa data, segundo a ONU, é como um lembrete na luta contra os mais diversos tipos de exploração infantil que existem ao redor do mundo.

Fotoguia

As 10 paisagens mais impressionantes do mundo


O blog The Cool Hunter, uma das referências em cultura, design e viagem fez uma compilação com as mais impressionantes paisagens do mundo. Sinceramente isso varia muito de gosto, mas que ficou uma bela lista isso é certo. Confira as dez mais:


Clique nas imagens para ver maior.
1. Cachoeira Seljalandsfoss, Islândia

2. Preachers Rock, Preikestolen, Noruega

3. Skaftafeli, Islândia

4. Lago Plitvice, Croácia

5. Cavernas de Mármore, Chile Chico, Chile

6. Capilano Suspension Bridge, Vancouver, Canadá

7. Vale dos Dez Picos, Moraine Lake, Canadá

8. Cachoeira Multnomah Falls, Oregon, EUA

9. Benteng Chittorgarh, Índia

10. Monte Roraima, Venezuela

Vambora de hj

   Vambora -ESPECIAL DIA DAS CRIANÇAS !




Nesse dia das crianças o azedinho doce da a dica de viagem para :


Amsterdã para famílias com crianças

A divertida capital da Holanda é também um destino completo para curtir em família


A imagem que Amsterdã (e, de certo modo, toda a Holanda) passa ao resto do mundo é um destino bem extravagante, liberal e sem apego aos rótulos. Uma quase anarquia que ama sua monarquia. Não que isso não seja verdade, mas aqui também é uma cidade bastante família, com ótimas atrações para crianças e adolescentes. Há muitas boas áreas verdes, a maioria dos grandes museus possuem agenda e exposições dedicadas aos pequenos e pai nenhum precisa se sacrificar para agradar a todos. A própria cidade convida a uma interação lúdica, com casinhas funcionais (explique o porquê das grandes janelas das casas, dos suportes para roldanas no topo dos prédios e quem mora nos barcos*), o complexo sistema de canais e um número sem fim de bicicletas disputando espaço com os bondes.
Amstelpark Amsterdã Holanda
Magere Brug Amsterdã, HolandaCasas de tijolos aparentes, em Amsterdã
A atração
Museu Van Gogh. Traga-as aqui para ver ao vivo aquilo que aprendem na escola. Nos últimos anos muitos professores de educação artística têm usado as obras do velho Vincent em suas aulas. Não é para menos: as fortes cores e os temas cotidianos (casinhas, campos floridos, flores, céu estrelado) são muito próximas do universo infantil. O próprio museu possui atividades para o pequeno público.
Caso chova (o que nada difícil por aqui), não deixe de conhecer outros museus como o Rijksmuseum e o Museu Histórico de Amsterdã.
O Quarto, Van Gogh Museum, Amsterdã, Holanda

Passeios para toda a família
Na área portuária há duas grandes atrações: o NEMO e o Museu Marítimo. O primeiro é um grande centro de ciências instalado em um edifício projetado por Renzo Piano, um dos arquitetos do Centro Pompidou de Paris. Já no segundo as crianças terão a oportunidade de visitar um veleiro de verdade e conhecer um pouquinho sobre a rica história mercantil e naval dos holandeses, que um dia dominaram territórios do nordeste do Brasil à Indonésia.
Nemo, museu para adultos e crianças, em Amsterdã
Ainda no tema história, não deixe de ir à cidade de Haia, 50 minutos de trem ao sul, para conheer a Casa de Maurício de Nassau, o Mauritshuis. A casa do antigo governador-geral do Brasil holandês hoje abriga um pequeno museu com grandes obras de Rembrandt, Paulus Potter, Carel Fabritius e Vermeer. Atualmente fechado para reformas, a previsão de reabertura é para meados de 2014. Parte das obras de seu acervo está exposta na cidade ou está em tour pelo mundo.Museu Marítimo de Amsterdã, HolandaMuseu Marítimo de Amsterdã, Holanda


A comidinha
Stroopwafel. Oh, meu deus, este é provavelmente o biscoito mais gostoso do planeta. Dois waffles macios com uma massa com leve toque de canela e um recheio caramelado são a companhia perfeita para um chocolate quente.
Holandeses também curtem os broodjes, sanduíches que levam presunto defumado, salmão, os deliciosos queijos locais (edam, gouda, Delft blue e maasdam são verdadeiras iguarias) e os odiados alface e tomate.Stroopwafel Holanda


Para deixá-las exaustas
Amsterdã possui alguns bons parques para quem precisa de um pouco de ar puro. Na parte central está o Parque Vondelpark, querido e eclético paraíso da contracultura. Junto ao Rijksmuseum está o sempre bem-vindo gramadão do Museumplein. Mais ao sul está o agradável Amstelpark, com playgrounds, belos canteiros floridos e até uma fazendinha com pôneis e ovelhas. Ótimo lugar para fazer piqueniques.Vondelpark, em AmsterdãVondelpark Amsterdã Holanda
Amstelpark, Amsterdã, Holanda
 

O trenzinho do Amstelpark funciona durante todo o verão. Foto: Eric van Wijk/Creative Commons

Programa de adolescente
Há dois obrigatórios e nenhum deles é o Red Light Zone.
Para mostrar como seus filhos são afortunados, leve-os para a Casa de Anne Frank, onde a jovem menina judia e sua família se esconderam por meses da perseguição dos invasores nazistas até serem supostamente delatados e enviados para campos de concentração. Só o pai de Anne, Otto, retornou. Aproveite para comprar um exemplar de seu belo e singelo diário na livraria.
Um pouco mais alegre é assistir a uma partida de futebol na Amsterdam Arena, casa do AFC Ajax. O time mais popular do país já contou com craques como Cruijff, Van Basten e Kluivert e um jogo no moderno estádio é diversão na certa.
A casa onde a família judia de Anne Frank se escondeu dos nazistas, durante a segunda guerra mundial, é hoje um museu de Amsterdã
O meio de transporte
Escolha difícil. Eu ficaria com todos.
Primeiro, os ônibus aquáticos que percorrem os canais principais de Amsterdã. Depois, uma bicicleta alugada. Para os trechos mais longos, use os bondes. Mas, no final, o melhor mesmo é conhecer a cidade a pé.
Amstelpark Amsterdã Holanda
Dicas básicas
Amsterdã é uma cidade compacta, com as melhores atrações a curta distância umas das outras. Como é praticamente plana, as crianças não reclamarão e empurrar o carrinho do bebê não será problema. Aproveite então para caminhar bastante, fazendo pit-stops em cafés e lanchonetes (o distrito de Joordan e os arredores do Museumplein têm ótimas opções) e curtindo o simpático casario, as sombras das alamedas junto aos canais e os mercados de flores e suas praças.
Amsterdã Holanda

Fraldas, papinhas, fórmulas lácteas e toda a parafernália infantil são encontradas facilmente em supermercados, inclusive de marcas com as quais você estão acostumados.
Ah, e se elas reclamarem que querem ver moinhos de vento, o local mais próximo é Zaanse Schans. Não é uma maravilha, mas tem de tudo um pouquinho: moinhos abertos para visitas, lojas de queijos e até um simpático museu de relógios.

Zaanse Schans, nos arredores de Amsterdã Os tamancos de madeira, típico souvenir holandês

ONDE FICAR
Amsterdã não tem pouca oferta de bons quartos de hotéis. Um dos lugares mais práticos para se ficar na cidade é dentro do anel de canais, mais perto da estação central, dos bancos, restaurantes e principais atrações. Alguns estabelecimentos em Jordaan ou ao longo dos canais Singel e Keizer podem ser um pouco barulhentos, outros não têm elevadores (e as escadas podem ser bem estreitas) e outros ainda mais não têm serviço 24 horas. E tente evitar a área do Red Light District. Apesar de haver alguns hotéis e pousadas razoáveis por aqui, a área não é muito segura à noite. Mesmo assim há nesta área tanto pequenos hotéis, bons e baratos -- alguns muito bem decorados, como clássicos locais como o elegante Hotel de l'Europe, o Seven Bridges e o Grand Krasnapolsky, no movimentado coração de Amsterdã, a Praça Dam.
Um pouco fora do Centro estão outras bons opções pertencentes a grandes redes. Próximo ao centro de convenções RAI e ao parque Amsterlpark estão hotéis Novotel, Holiday Inn, Mercure Amstel e o elegante Okura Amsterdam. Destes lugares para o centro basta pegar um bondinho.

Campo de flores na cidade de Haarlem
Paque Botânico de Keukenhof, em Lisse