sexta-feira, 21 de junho de 2013

BOM FINAL DE SEMANA


 
   Vambora
 
Hj o Vambora leva vc a ponta da bota do pais da Italia :
Calabria
A região é uma longa e estreita península que se estende desde o norte para o sul ao longo de 248 km, com uma largura máxima de 110 km. Cerca de 42% da superfície da Calábria, o que equivale a 15.081 km² é montanhosa, 49% são colinas, enquanto as planícies ocupam só 9% do território da região. Está separada da Sicília pelo estreito de Messina, onde o ponto mais estreito - entre o Cabo Peloro na Sicília e Ponta Pezzo na Calábria tem só 3,2 km.

É uma região montanhosa (Apeninos Calabreses) e acidentada que se estende para Sicília, entre o Mar Tirreno e o Mar Jónico. Os Apeninos se ramificam em dois cordões principais, um é o da cadeia costeira que como seu nome indica segue a costa do Tirreno até o golfo de Santa Eufemia, tendo sua máxima altura no Monte Cocuzzo, de 1541 m. A cordilheira costeira (ou Paolana) prolonga-se até o baixo curso baixo do rio Savuto, entre a faixa costeira tirrena e o profundo Vale do Crati. Este último separa a Cordilheira Costeira da Sila, extensa região de meseta que culmina a 1928 m no Botte Donato. No entanto o principal ramo dos Apeninos chamado Appenino Calabrese percorre a região dividido em vários segmentos: ao norte assinalando os limites com a região de Basilicata acha-se o monte Pollino de 2.267 metros de altitude na serra Dolcedorme, e cujos contrafortes chegam ao sudoeste, até o passo do Scalone (740 m) onde terminam os Apeninos Lucanos e começam os Apeninos Calabreses. Os montes Pollino no norte da região são abruptos e formam uma barreira natural que separam a Calábria do resto de Itália. Partes da superfície são intensamente arborizadas, enquanto outras são vastas mesetas varridas pelo vento com escassa vegetação. Estas montanhas são o lar de uma rara variedade de pinheiro dos Bálcans, e estão incluídas no Parque Nacional Pollino. Prosseguindo para o sul encontra-se as planícies elevadas da Sila Grande, Sila Greca e Sila Piccola (nesta última se alça o monte da Femminamorta com 1.740 m). Tais planícies delimitam a comarca e vales do Marchesato. A Sila é uma vasta meseta montanhosa, de ao redor de 1.200 m de altitude, que se estende por cerca de 2 mil km² ao longo da parte central da Calábria. O ponto mais alto é Botte Donato, que chega a 1.928 m de altitude. A região tem numerosos lagos e densos bosques de coníferas. Depois encontra-se a corrente das Serre (serras) e finalmente o maciço do Aspromonte, que forma a ponta mais meridional da península Italiana rodeada pelo mar por três lados. Esta estrutura montanhosa única atinge sua altitude máxima em Montalto Uffugo, com 1.955 metros, e está cheia de extensos terraços realizadas pelo homem que descem até o nível do mar.


 
 

Pintura em 3D


Hoje é o primeiro dia de inverno e tbm onde ocorre um fenomeno :O SOLSTÍCIO

Solstício de inverno é um fenômeno astronômico usado para marcar o início do inverno. Ocorre normalmente por volta do dia 21 de Junho nohemisfério sul e 22 de Dezembro no hemisfério norte.
A palavra solstício vem do latim; (Sol), e sistere (que não se move).
O solstício de inverno ocorre quando o Sol atinge a maior distância angular em relação ao plano que passa pela linha do equador. Embora sua data não seja a mesma em todos os anos, pode-se dizer que ocorre normalmente por volta do dia 22 de Dezembro no hemisfério norte e 21 de Junho no hemisfério sul. Esse momento não é fixo no calendário gregoriano em função do ano tropical da Terra não ser um múltiplo exato de dias.
 


 

Animais X Vidro (Gifs)


Esta é uma pequena galeria de gifs onde é vista a agitação de um animal de zoológico ao ver um humano.
Confira a galeria completa. :D






Besouro de ouro: confira um dos insetos mais belos do mundo:Parente da joaninha, conheça o bichinho que pode controlar a mudança da própria cor.

Besouro de ouro: confira um dos insetos mais belos do mundo





Os insetos são criaturas superabundantes na Terra e que causam medo e aflição em muita gente. Mas, além de espécimes bizarras e até mesmo de algumas que podem ser letais para os humanos, também existem alguns bichinhos que chamam a atenção pela sua extrema beleza. Um exemplo disso é o besouro da espécie Charidotella sexpunctata, nativo dos Estados Unidos e que parece uma joaninha feita de ouro.
Esse inseto pequenino — entre 5 e 7 milímetros de tamanho — costuma ser encontrado nas folhas de uma planta conhecida por aqui como glória-da-manhã, que é o seu quitute favorito. No entanto, existem algumas particularidades que tornam o C. sexpunctata ainda mais interessante, como uma película transparente que o recobre e que pode mudar de cor.

Besouro de ouro

Isso acontece porque a parede interna dessa película é coberta com uma microscópica camada de líquido, e qualquer alteração nessa camada — que possui uma série de válvulas minúsculas que controlam os níveis de umidade — modifica a cor refletida pelo besouro. A alteração da coloração normalmente ocorre quando o inseto é perturbado ou quando está ocupado acasalando, mas é o bichinho quem comanda essa ação.
As cores que esses insetos podem apresentar variam do dourado ao castanho, passando pelo azul, verde e até alaranjado com pintinhas pretas. Os besouros C. sexpunctata também são fãs de batata-doce, seus encontros “amorosos” podem durar entre 15 e 583 minutos (!) e não se sabe ao certo quantas gerações são produzidas a cada ano. Confira a seguir mais imagens desse curioso bichinho e conte nos comentários se você já conhecia essa espécie:

1. Película transparente

Fonte da imagem: Reprodução/Kenneth Ng

2. Joaninha feita de ouro

Fonte da imagem: Reprodução/Rob Swatski

3. Olha a privacidade!

Fonte da imagem: Reprodução/Scientific American

4. Retrato

Fonte da imagem: Reprodução/Beck Photography
http://www.megacurioso.com.br/

Fotoguia



1. Socotra



www.Exotic-Vacation.com


Socotra é arquipélago do chifre da África e da península árabe, mas a principal ilha de Socotra é 95% de toda a massa de terra, enquanto o resto é apenas pequenas ilhas. Este lugar é provavelmente o mais estranho-olhando na terra. Um terço da flora e da fauna nesta ilha, administrado pelo governo do Iêmen, pode ser encontrado somente aqui. O em forma de guarda-chuva "sangue árvore," o pepino árvore, árvore gigante suculento, diferentes tipos de aves, aranhas, morcegos e gatos têm o único habitat em Socotorá.









Em Breve :



Fotógrafo brasileiro cria cenas fantásticas com alimentos e miniaturas:Usando alimentos, objetos e miniaturas diversas, fotógrafo cria cenas inusitadas e até mesmo reprodução de momentos marcantes do cinema.

Fotógrafo brasileiro cria cenas fantásticas com alimentos e miniaturas

O fotógrafo e arquiteto brasileiro William Kaas tem feito sucesso na internet com uma série de imagens que impressionam pela criatividade. Munido de alimentos, objetos comuns e miniaturas de cowboys, mergulhadores e outros personagens, Kass constrói cenários fantásticos e cria cenas que poderiam, muito bem, fazer parte de animações cinematográficas.
Em entrevista para o Gizmodo Brasil, o artista contou que procura explorar essa “nova realidade” que os alimentos ou objetos proporcionam quando fotografados de perto. Além disso, as cenas podem surgir do zero, criadas pela cabeça do fotógrafo, ou inspiradas em alguns filmes, como é caso de algumas imagens logo abaixo.
E não falta criatividade. Em “Far West Pickles”, por exemplo, pepinos em conserva são transformados em cactos, enquanto pães se tornam montanhas. Em outra peça, um iPhone foi usado para solucionar um dos grandes mistérios do mundo dos games: de onde vêm as peças do jogo Tetris? Confira logo abaixo.

1. Far West Pickles

Fonte da imagem: Reprodução/William Kass

2. Coconut Neighbors

Fonte da imagem: Reprodução/William Kass

3. Carnaval&Samba

Fonte da imagem: Reprodução/William Kass

4. Digital Bathroom

Fonte da imagem: Reprodução/William Kass

5. Kitkat Garden

Fonte da imagem: Reprodução/William Kass

6. The Untouchables

Fonte da imagem: Reprodução/William Kass

7. Radioactive Candy Drops

Fonte da imagem: Reprodução/William Kass

8. CocoDiving

Fonte da imagem: Reprodução/William Kass

FonteWilliam KassGizmodo
Caixa preta :Averdade por traz dos mitos !


Mito ou Verdade: o Sol é amarelo?


Atmosfera terrestre é a responsável não apenas pelo azul do céu, mas também pelo amarelo ou vermelho que o sol costuma vestir.
Muitas vezes, aquilo que enxergamos não é exatamente o que deveríamos ver. Prova disso são os muitos relatos de avistamento de discos voadores, que nunca podem ser comprovados. Nesse caso, a maioria das pessoas acaba não sendo uma fonte muito confiável, já que está sujeita a influências psicológicas, ilusões de óptica e efeitos atmosféricos capazes de “nublarem” a razão de qualquer um.
Quer um exemplo prático? Vá até a janela e olhe para aquela imensa sala azul que, na internet, chamamos de “mundo real”. Bem no alto dela há um pixel muito brilhante, conhecido como Sol. Se olharmos diretamente para ele — e nunca use um binóculo ou telescópio para isso; caso contrário, você perderá a visão —, podemos afirmar com segurança que o nosso Astro Rei possui uma cor amarelada.
Talvez por isso seja tão comum escolhermos um lápis de cor de tom amarelado para colorirmos a representação gráfica de nossa estrela vizinha. Na prática, a cor cai bem e torna o desenho mais realista. Porém, dependendo da ocasião, para levar o realismo a sério seria necessário mudar a cor do Sol, já que, se visto do espaço, o astro seria branco.

Por que o Sol (não) é amarelo?

Imagem do sol capturada por observatório solar da NASA (Fonte da imagem: NASA/SDO)
O Sol parece amarelo pela mesma razão que, para nós, o céu tem cor azul: a atmosfera da Terra serve como uma espécie de filtro, fazendo com que determinados espectros que formam a luz solar não cheguem até nós.
Nesse caso em específico, a atmosfera terrestre dispersa os espectros do intervalo azul-violeta, fazendo com que apenas os outros cheguem até nós. Por isso, a aparência dessa estrela acaba sendo mais amarelada. E de acordo com o Today I Found Out, os web designers talvez gostem de saber que a cor exata do Sol é representada pelo código hexadecimal #fff5f2.

O caso do céu avermelhado


O mesmo processo é responsável por outros efeitos visuais interessantes, como o céu que se torna mais amarelado durante o pôr do Sol. Além disso, há ocasiões em que tanto a estrela quanto o firmamento ganham uma coloração avermelhada.
A razão para isso acontecer se deve ao fato de que o Sol está sumindo na linha do horizonte e, durante esse momento, o astro está em um ângulo tal que a luz precisa atravessar uma camada muito maior de atmosfera, tornando mais difícil a propagação de ondas de comprimentos mais baixos, como a da cor azul. Dessa forma, o que sobra é o amarelo.
Porém, pode acontecer de o ar estar carregado de poeira ou outras partículas grandes. Nesse caso, ondas de comprimentos maiores também serão filtradas, deixando o céu e o sol com uma coloração avermelhada.

Mega Curioso : Labirintos de sal: artista cria obras incríveis com as próprias mãos

(Fonte da imagem: Reprodução/Motoi Yamamoto)
Cada um de nós tem uma maneira muito pessoal de lidar com sentimentos como a perda, a dor e a saudade de um ente querido que se foi, e o artista japonês Motoi Yamamoto decidiu criar esculturas e labirintos para aliviar suas emoções.
Depois de sofrer a perda da irmã mais nova, Motoi Yamamoto, que então estudava artes, decidiu homenagear a sua memória através de esculturas feitas de sal. E o resultado é simplesmente incrível.
(Fonte da imagem: Reprodução/Motoi Yamamoto)
No Japão, os rituais funerários são muito tradicionais e diferentes das cerimônias com as quais estamos acostumados aqui no ocidente. Lá, o sal é utilizado durante esses eventos, sendo distribuído para os presentes ao final da cerimônia, para que seja espalhado com o objetivo de afastar os maus espíritos.
O artista contou ao The Japan Times que vem criando suas belíssimas obras desde 2001, usando apenas sal, uma garrafa de plástico e as próprias mãos. Motoi desenha intrincados labirintos, florestas e jardins evocando a memória da irmã em casa curva, linha ou célula que ele pacientemente espalha no chão. Cada obra pode levar até duas semanas — e 14 horas de trabalho diários —
http://www.megacurioso.com.br/

Ilusão de otica

Ver x Reconhecer
Fonte da imagem: Reprodução/CRACKED.com
A imagem acima corresponde a uma ilusão de óptica criada no século 19, e que traz duas mulheres — uma jovem e outra velha — na mesma figura. Você consegue reconhecê-las? O queixo e a orelha da mais jovem correspondem, respectivamente, ao nariz e ao olho da mais velha. No entanto, não importa o quanto você tente, jamais vai conseguir ver as duas ao mesmo tempo. Sabe por quê? Porque ver e reconhecer são processos diferentes.
Acontece que, para reconhecer a mulher mais velha, você não deixa de ver a mulher mais jovem, já que ela faz parte da composição. No entanto, você deixa de reconhecê-la quando foca a atenção na mulher mais velha. Isso ocorre por que esses dois processos — o de ver e o de reconhecer — acontecem em regiões diferentes do cérebro, separadamente.
Assim, enquanto uma região é responsável por lidar com informações como cor, movimento, forma e profundidade, outra área se ocupa de identificar o que estamos vendo. Portanto, voltando à imagem acima, isso quer dizer que uma área do cérebro mapeia as linhas que compõem a figura, passando essas informações adiante, para o “departamento” responsável por reconhecê-las.

Estudante croata de 22 anos cria GIFs inacreditáveis

Vader!
O artista Paolo Čerić é um estudante do curso de Processos de Informação da Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação da Croácia, onde ele realiza seus experimentos com arte digital. O garoto, de 22 anos, publica o resultado de seus trabalhos experimentais em uma conta no Tumblr, chamada Patakk, na qual podemos conferir GIFs simplesmente impressionantes.
Em geral, as animações conhecidas como GIFs podem ser chatas e pouco atrativas. Mas o que Paolo nos mostra é que a arte pode estar nos objetos e nos formatos mais inusitados possíveis. Čerić disse ao site This is Colossal que começou a se aventurar no mundo das animações digitais há pouco mais de dois anos, quando ainda não tinha muita noção de técnicas para construir os trabalhos.
Incrível!
Mesmo sem saber muito sobre arte digital ou sobre animação, o estudante era fascinado por assistir a outros programadores e designers criarem arte usando códigos de programação e recursos digitais. Por um tempo, o rapaz tentou apenas copiar algumas animações que ele via na sua faculdade, construindo e animando objetos.

Vivendo e aprendendo

Excelente trabalho!
Agora, Čerić tem seu próprio estilo de animação e consegue desenvolver seus próprios trabalhos à medida que vai mais fundo no estudo das animações. Vale a pena conferir nos GIFs acima os padrões geométricos incríveis que compõem as obras do jovem estudante e a maneira com a qual elas são sutilmente animadas.
É como se estivéssemos olhando para objetos reais, pulsando e se dobrando sem parar. De agora em diante, é melhor termos mais cuidado quando formos criticar de forma generalizada todos os GIFs.